Prefeitura doa madeira da área do Prosap para Polo Moveleiro

Previous
Next

Numa primeira etapa, foram entregues cerca de 450 metros cúbicos após tramitação legal do processo de doação na Secretaria Estadual de Meio Ambiente, em Belém.
 
As 115 movelarias instaladas no polo de Parauapebas começaram a receber este mês um importante reforço da prefeitura: a madeira suprimida das áreas onde estão sendo construídas as obras do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap).

O termo de doação foi assinado na última sexta-feira, 12, entre o coordenador executivo da Unidade Executora do Prosap, Daniel Benguigi; o presidente da Cooperativa da Indústria Moveleira de Parauapebas, Sérgio Ferreira Barbosa, e o secretário municipal de Desenvolvimento, Mariano Júnior, de quem partiu a sugestão para que a madeira fosse doada para o Polo Moveleiro.

A assinatura foi acompanhada pelo coordenador de Projetos Especiais da Prefeitura, Cleverland Araújo, técnicos do programa e diretores da Seden. “É o início de uma grande parceria. Hoje, a gente dá início a algo inovador, que vai atender ambas as partes: tanto a sociedade quanto a associação de moveleiros. E a prefeitura tem o papel de fazer essa união, essa intervenção. A gente está muito feliz em participar, intermediar essas ações”, assinalou Mariano Júnior.

Nesse primeiro momento, a doação foi de aproximadamente 450 metros cúbicos de madeira, a grande maioria da espécie gameleira. “É uma doação importante porque ajuda a consolidar um primeiro processo de uma madeira que é legal, e isso faz com que a gente comece também a trabalhar com essa madeira”, disse Sérgio Ferreira.
 
Cuidados ambientais e trâmites legais

“A gente precisava dar uma destinação final ambientalmente correta a esse material. Não poderíamos deixar esse material no pátio para se desgastar com o tempo”, explicou a supervisora de Licenciamento Ambiental do Prosap, Maria Zana Bezerra.

Por sua vez, a coordenadora de Ações Ambientais do Prosap, Alessandra Rosa Gomes, ressaltou que a supressão da madeira da área de abrangência do programa foi precedida dos cuidados exigidos pela legislação ambiental.

“Durante o processo de licenciamento ambiental, nós fizemos um inventário de flora – o levantamento das espécies que seriam suprimidas – e durante a execução dessa supressão elas foram todas catalogadas e encaminhadas para o bota-fora”, informou a analista ambiental.

Para viabilizar a doação da madeira, uma equipe do Prosap foi à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em Belém, providenciar o processo. “Procedemos com todos os trâmites legais, a questão documental, as devidas autorizações de licença porque quem vai receber esse material deve estar legalizado no ponto de vista ambiental e fiscal”, disse Zana Bezerra.

Conforme o andamento das obras do Prosap, a supressão de madeira deverá continuar. E a expectativa é que o material continue a ser entregue para o Polo Moveleiro até o final do projeto.

Texto e fotos: Hanny Amoras
Assessoria de Comunicação – Ascom/PMP

Todos os Direitos Reservados PROSAP 2021